quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

O maior #fail da comunicação na Comissão Europeia? Eu não penso assim…


Andava por aqui a rever artigos interessantes dos últimos dois anos, quando verifiquei que não tive oportunidade de expor esta situação ocorrida em 2012 com o departamento de comunicação da Comissão Europeia, mais precisamente com a DG Enlargement.

Despenda 90 segundos da sua vida e assista a este filme!

Foi para muitos considerado tão mau, que pode bem tornar-se num culto!

Como é que o Kung Fu, a Capoeira e o Kalaripayattu podem aumentar o interesse europeu para futuros alargamentos na EU.



Após o lançamento deste filme a Comissão Europeia recebeu fortes críticas nas redes sociais, e acabou mesmo por retirar o filme do Youtube e cancelar a campanha.

Fez igualmente este comunicado em inglês para a imprensa:


“We have received a lot of feedback on our latest video clip, including from people concerned about the message it was sending.
It was a viral clip targeting, through social networks and new media, a young audience (16-24) who understand the plots and themes of martial arts films and video games. The reactions of these target audiences to the clip have in fact been positive, as had those of the focus groups on whom the concept had been tested.

The clip featured typical characters for the martial arts genre: kung fu, capoeira and kalaripayattu masters; it started with demonstration of their skills and ended with all characters showing their mutual respect, concluding in a position of peace and harmony. The genre was chosen to attract young people and to raise their curiosity on an important EU policy.

The clip was absolutely not intended to be racist and we obviously regret that it has been perceived in this way. We apologise to anyone who may have felt offended. Given these controversies, we have decided to stop the campaign immediately and to withdraw the video.

Stefano Sannino, Director General of DG Enlargement”

Para mim o filme só peca pelas escolhas de “casting” das personagens apresentadas, uma vez que o Brasil, o Japão/China, entre outros países Asiáticos dificilmente farão parte da União Europeia. O mesmo diz respeito à personagem referente à UE, a figura inspirada no “Kill Bill” dificilmente representa os países europeus.

No entanto temos que ter em conta a aposta num vídeo Viral, com óbvias referências a personagens de filmes e de jogos de computador, a música coloca-nos numa aura de um “Western Spaghetti”, enfim uma forma diferente de captar os jovens para os assuntos europeus!

A essência do filme é captada, mas poderá ser considerado RACISMO?
Para mim nunca e para vocês, qual a vossa opinião?

Helder Gonçalves

Reacções:

0 comentários:

Enviar um comentário