terça-feira, 7 de janeiro de 2014

2014 Ano de grandes eventos



O ano que agora começa será sem dúvida marcado por dois grandes eventos desportivos de escala mundial. O Mundial de futebol que se realizará no Brasil no próximo verão e os Jogos Olímpicos de Inverno que terão lugar na Rússia no próximo mês de Fevereiro.

Os dois eventos, estão desde já marcados por vários problemas a vários níveis, sendo que as questões de segurança são um dos itens mais discutidos neste momento.

Relativamente aos jogos olímpicos de inverno que se irão realizar em Sóchi/Krasnodar, estão desde já sob ameaça de actos de terrorismo, em função dos recentes atentados bombistas, um numa estação de comboios e outro num eléctrico, ambos em Volvogrado e ambos com várias vítimas mortais.

Os atentados, segundo as autoridades de segurança russas, foram atribuídos aos extremistas islâmicos do Cáucaso Norte, que em Julho tinham prometido diversos ataques para impedir a realização dos jogos.

Assim, e ainda antes do inícios dos jogos, a sombra de mais atentados e de uma insegurança irá sem dúvida marcar toda o período até ao dia 23 de Fevereiro, dia em que será apagada a pira olímpica.

A segurança é um dos factores mais cruciais em todos os eventos e ainda mais neste eventos de escala mundial, que acabam por ser usados como bases de mediatização para determinados problemas regionais, tal como sucedera nos Jogos de 1972 em Munique, com o ataque à Aldeia Olímpica e sequestro e morte de vários atletas israelitas.

No caso do mundial do Brasil, existem várias dúvidas, sobre por um lado questões de infra-estruturas, ou seja no que diz respeito à concretização plena dos vários estádios que estão a ser finalizados e à sua segurança, sendo que têm surgido vários problemas. Ainda recentemente caiu uma cobertura de uma bancada num estádio na zona de S. Paulo, o que veio adensar ainda mais os receios face à resolução dos processos de obras a tempos do inicio do mundial e em que condições de segurança, para os espectadores.

Por outro lado, as movimentações sociais que se verificaram, durante a realização da Taça das Confederações, evento habitualmente prévio ao mundial e que serve para testar vários aspectos organizativos, entre eles o da segurança, deixaram claro que haverá mais momentos críticos a este nível quando se aproximar o mundial, que sem dúvida terá uma atenção mediática ainda maior e que por isso deverá também verificar diversos momentos de contestação social juntos dos estádios e nas principais cidades brasileiras.

Para além da habitual exigência de medidas que este género de eventos, de escala mundial, exigem, quer os jogos olímpicos de inverno, quer o mundial de futebol, parecem ter de lidar com questões de segurança extra, que se num caso, a Rússia, poderiam ser de esperar, no caso do país do samba e futebol, não seria de certeza algo que a maioria dos analistas de segurança em eventos contariam.


Por isso é que o estudo das questões de segurança são um dos grandes desafios na preparação e organização de grandes eventos, numa era dominada pelas redes sociais, pelo auto-jornalismo digital, ou seja por uma mediatização de qualquer momento ao segundo e de forma viral.

Miguel Macedo

Reacções:

0 comentários:

Enviar um comentário