terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Eventos-Sensações


Quantas vezes assistimos a eventos, independentemente do seu género, que nos ficaram na memória por muitos e muitos anos, como algo absolutamente fantástico, algo absolutamente perfeito, algo em que a harmonia de tudo o que vimos, ouvimos e sentimos foi absolutamente total?

A resposta será sempre pessoal, e cada uma de nós pode olhar para um evento de forma diferente, ter uma visão distinta de um mesmo momento, de uma mesmo espectáculo.

No entanto, é habitual que em eventos que recebem uma reacção comum por parte daqueles que têm o privilégio de assistirem aos mesmos.

Os espectáculos musicais, os grandes eventos desportivos nas suas cerimónias de abertura e de encerramento como os jogos olímpicos, outros eventos menos conhecidos, são marcados normalmente por uma harmonia tal que produz um forte efeito de receptividade positiva junto de quem os assiste.

A questão é como se pode atingir essa harmonia, esse efeito de entrar nas cabeças das pessoas e mais do que isso muitas vezes de entrar na alma das pessoas que assistem a certos efeitos, fazendo permanecer nelas uma sensação agradável, uma sensação de que será algo a repetir, de que é um evento ou género de evento que quererão de novo assistir.

Essa harmonia, só pode ser atingida, se houver o cuidado de fazer ligar todos os pontos de contacto do evento. A luz, com o som, a imagem, com o local, a mensagem com as pessoas que assistem ao evento. Tudo tem e deve ser ligado de forma perfeita, sem cortes, sem paragens.

Para mim, um dos maiores exemplos de um evento em que tudo se conjuga formando um harmonia perfeita, são os espectáculos do Cirque du Soleil, a companhia canadiana de circo, que de facto transportou este género de eventos para outro nível e acima de tudo e de forma assumida para um nível em que o objectivo é realmente recriar um mundo de fantasia no qual as pessoas que assistam ao evento se sintam claramente envolvidas.

Aqui tudo, se conjuga, com pormenores deliciosos, como elementos de fantasia e de um mundo imaginário, no qual vijamos durante cerca de duas horas. Este é um exemplo de como um evento pode ser e deve ser isto para quem o assiste. Mágico.

Independentemente do género de cada evento todos devem procurar ser algo mais para quem assiste, todos deviam ser capazes de transmitir sensações para além de mensagens e para isso têm de estar repletos de harmonia, ser um todo.


Por Miguel Macedo

Reacções:

0 comentários:

Enviar um comentário