quarta-feira, 21 de setembro de 2016

NARCOS, a estratégia social


Nas últimas semanas fomos invadidos pela comunicação da nova temporada da série NARCOS em tudo o que é rede social: You Tube, Facebook, Twitter, etc.... 

Actualmente verificamos que os produtores de séries televisivas usam e abusam das redes sociais para envolver os seus fãs, semana após semana, à medida que os episódios vão decorrendo. Usualmente na semana anterior à exibição do episódio vão libertando informações sobre o mesmo, de forma a despertar a curiosidade dos espectadores, e a aumentar o buzz das conversações.

No entanto, e apesar do Netflix disponibilizar todos os episódios de uma só vez, verificou-se que a produtora teve a necessidade de estruturar a sua campanha de forma a manter o público envolvido ao longo das semanas de exibição nos canais televisivos.

Narcos, conta a história de Pablo Escobar e do cartel de drogas de Medellín. O principal objectivo da produtora nas redes sociais foi para a fase inicial da campanha a sensibilização e antecipação.

Após o lançamento, mudaram o foco para conduzir a audiência, e criando uma identidade social ​​que transcende o mundo da serie.

Propuseram-se a criar uma amplitude do trabalho que combinava com o nível de qualidade, entretenimento e profundidade que faz a série ser fantástica.

Numa última análise, queriam que o público encontra-se substância e valor nos canais sociais, além do entretenimento. Pretendiam que os canais sociais de Narcos ganhassem vida própria, o que seria uma vitória para a produtora.

A estratégia global foi o de fornecer profundidade relacionada com a marca Narcos ao trazer a verdadeira história da série para o espaço social.

Em qualquer momento das campanhas realizadas não se tinha ideia que a série já tinha sido exibida na totalidade, mantendo assim a curiosidade em cada episódio. Para manter esta conexão com o público, foram selecionadas temáticas abordadas na série e que eram mais relevantes na cultura: a ambiguidade moral, riqueza excessiva, e da cultura da cocaína.

Isto criou uma narrativa paralela para a série onde eram seduzidos os seguidores, sem nunca estragar a trama. Procuraram evitar a fadiga de conteúdos, dividindo as partilhas por temáticas.

Uma vez que a série aborda assuntos sensíveis, foi um desafio trazer essas temáticas para o dia a dia dos espectadores.  Todos os dias os seguidores nas redes Narcos eram surpreendidos com conteúdos que em muitos casos pouco tinham a ver com o episódio da série, mas sim com a vida real, procurando sensbilizar para os perigos do crime e da droga.

Criaram a hashtag #Cokenomics para comunicar a economia do comércio de cocaína. Cada um foi concebido para comparar os fatos surpreendentes e as figuras do cartel com efeitos visuais relacionáveis, tudo através de infográficos visualmente atraentes.

Outro sucesso de micro-campanhas que lançaram foi a hashtag #SmuggleandSeek, uma ativação no Facebook que deu vida à dinâmica entre o cartel e os agentes da DEA.

Passados 3 meses do início da campanha, já possuíam 2 milhões de fãs nas três plataformas: Facebook, Instagram e Twitter.

A série foi um dos maiores sucessos do ano, com duas nomeações ao Globo de Ouro e 
Netflix alegando que teve mais espectadores do que Game of Thrones, da HBO.

A campanha social atraiu uma multidão de fãs de alto perfil, como Anderson Cooper, Mario Lopez, Piers Morgan e Ricky Gervais que se envolveram com os canais meses após o lançamento da série.

A cada semana, além do conteúdo mensal, executaram com sucesso conteúdos dinâmicos e criativos!
Criaram para o Facebook um novo conjunto de emoticons, no Instagram usaram a hashtag #GOP relacionada com o primeiro debate republicano.

Todas estas acções, entre muitas outras, possibilitaram que NARCOS obtivesse os melhores resultados na participação activa nas redes sociais, entre todas as séries de televisão!


Assista ao vídeo resumo da acção nas redes sociais de Narcos: 



Alguns exemplos de imagens usadas:




















Reacções:

0 comentários:

Enviar um comentário